terça-feira, 14 de julho de 2009

Teoria Comportamentalista

As teorias Comportamentalistas, focaram sobretudo a relação Estímulo-Resposta, e procuraram saber quais as leis que presidiam ao estabelecimento desta relação.
A aprendizagem é uma aquisição de comportamentos através de relações mais ou menos mecânicas entre um Estímulo e uma Resposta.




A situações idênticas correspondem a comportamentos idênticos

Características:

- O indivíduo é visto como passivo em todo o processo;
- A aprendizagem é sinónimo de comportamento expresso;
- O reforço é um dos principais motores da aprendizagem;
- A aprendizagem é vista como uma modelagem do indivíduo.

Princípios Psicopedagógicos:
- Definir com maior exactidão possível os objectivos finais da aprendizagem;
- Análise cuidada da estrutura das tarefas, de modo a determinar os objectivos do percurso;
- Apresentação da matéria em sequências curtas de forma a permitir um melhor condicionamento do aluno, conduzindo-o através de experiências positivas de aprendizagem;
- Apresentar estímulos capazes de suscitar as reacções adequadas às aprendizagens desejadas;
- Reforçar as reacções desejadas;
- Proporcionar o conhecimento dos resultados da aprendizagem como forma de retroalimentação do processo;
- Recompensar, retirar a recompensa ou punir, em função da relação entre o comportamento expresso e a aprendizagem desejada;
- Exercitar os comportamentos aprendidos.

Técnicas de Ensino:
- Exercícios de repetidos;
- Ensino individualizado, tipo programado;
- Demonstrações para imitação;
- Memorização.

PAVLOV

Para Pavlov a aprendizagem é uma resposta a estímulos condicionais. A sua aquisição dá-se pelo "condicionamento correspondente” que modifica o comportamento natural do indivíduo.

SKINNER

A aprendizagem decorre de uma primeira acção do sujeito que será reforçada. A retenção, ou seja, a própria aprendizagem, é também fraca, pois depende da manutenção dos reforços sobre as respostas que vão acontecendo. O aluno tem pouca participação e não necessita de motivação própria. Assim como a teoria de Pavlov, o método de Skinner é indicado para aprendizagens menos complexas que podem ser realizadas por meio do reforço.

De acordo com a teoria do condicionamento operante, o comportamento humano não é fruto de tendências inatas, mas sim de condicionamentos constituídos por circunstâncias reforçadoras, podendo, por isso, ser modificado por influência externa. O condicionamento operante induz à aprendizagem operante, a qual se baseia nos seguintes princípios:

1) A frequência de uma conduta aumenta quando acompanhada de reforços positivos;

2) A frequência de uma conduta diminui quando não é acompanhada de reforços positivos;

3) A frequência de uma conduta diminui quando é acompanhada de castigos.

A aprendizagem por imitação é tanto mais eficaz quanto melhor conseguir assegurar as seguintes condições: amabilidade e competência do modelo; capacidade de observar e de processar e reter informação por parte do aluno; frequência e intensidade do modelo. O modelo tem uma capacidade tanto maior para estimular a imitação quanto mais prestígio tiver, melhores relações afectivas estabelecer com o observador, mais continuada e intensa for a presença do modelo e mais informação conseguir transmitir ao observador.

Skinner considera que todas as crianças nascem com três características congénitas:

1) Competência genéticas;

2) Capacidade para responder aos reforços;

3) Repertório de comportamentos respondentes.

Os reforços podem ser positivos ou negativos. Os reforços positivos tendem a aumentar a frequência da resposta. A punição conduz à extinção de uma resposta indesejada, mas não tem qualquer relação directa com o aumento da frequência das respostas desejáveis. Por isso, Skinner considera que a punição não deve ser usada em educação.

BANDURA

Segundo Bandura, o reforço recebido por um sujeito, pode ter um efeito sobre os demais que passarão a imitá-lo com o objetivo de também receberem o mesmo reforço. Este tipo de aprendizagem acontece em grupos homogêneos, quando um participante reforçado, serve de exemplo modelar para todos os outros.

Behaviorismo é o estudo científico, puramente objectivo, do comportamento humano, iniciado em 1913 por Watson.

Neste movimento destacam-se, fundamentalmente, dois tipos de aprendizagem:

- O condicionamento clássico

- O condicionamento operante

Condicionamento Clássico:

É Pavlov (1849-1936), fisiologista russo, que atribui os primeiros estudos experimentais nesta área, razão pela qual se designa por condicionalismo clássico.
Há um estímulo que à partida não tem relação com a resposta.
Este tipo de aprendizagem é muito pouco utilizada nas situações mais frequentes de formação.

Na perspectiva do reflexo condicionado, a aprendizagem poderia ser concebida como um processo de desenvolvimento de reflexos condicionados que se obteriam substituindo os estímulos não condicionados por estímulos condicionados.
Condicionamento Operante:

A tónica é posta agora na resposta e nas suas consequências, desenvolvida por Thorndike.
Aprender é resolver um problema.


O condicionamento operante é o processo de aprendizagem através do qual uma resposta é tomada mais provável ou mais frequente.

2 comentários:

  1. Anónimo10:46

    Dadas as considerações acima, sobre características da teoria comportamentalista, seguem alguns esclarecimentos:
    - O indivíduo é visto como passivo em todo o processo – a idéia de passividade é totalmente incompatível com as teorias comportamentais. Os estudos sobre processos básicos do comportamento humano só confirmam que a ação ativa no ambiente é condição fundamental para a aprendizagem, para ser humano. Do ponto de vista ainda da filosofia da ciência do comportamento, leia-se behaviorismo radical (Skinner como expoente), cada ser humano é único, com história única, história essa que se processa e se produz na interação com o ambiente; ninguém é igual a ninguém e qualquer proposta de aplicação dos princípios comportamentais no entendimento de fenômenos educacionais deve pressupor essa constatação. Portanto, um ser ativo é condição sine qua non para a formulação das abordagens comportamentais.
    - A aprendizagem é sinónimo de comportamento expresso – bem, o que é comportamento expresso? O estudo do sentir, pensar, raciocinar, entender, compreender, fantasiar, sonhar, saber, conhecer... são objetos legítimos e necessários para a compreensão integral do ser humano; são tão “expressos” quanto qualquer comportamento observável, e, portanto, são objetos legítimos para o estudo do comportamento humano.
    - O reforço é um dos principais motores da aprendizagem – não, há diversos processos de aprendizagem e a noção de “reforço” apenas identifica o nome dado a um tipo de conseqüência que afeta o responder, a ação humana. A idéia de reforço não identifica necessariamente uma abordagem como comportamental, e, sim, o estudo da interação homem-meio, e variáveis e processos relacionados; o que identifica uma abordagem como comportamental é a disposição em estudar o comportamento humano a partir de seu objeto: a interação homem-meio, a crença na determinação do comportamento (bio-psico-social), o homem como produto e produtor do ambiente e de si mesmo; o homem como ser em relação. “Reforço” descreve um tipo de conseqüência observada nessa interação; é um termo técnico.
    - A aprendizagem é vista como uma modelagem do indivíduo – modelagem descreve o processo de aquisição de respostas, uma forma de aprendizagem bem descrita em estudos na área; descreve o processo de aprender diretamente a partir da ação no ambiente (ser ativo); aprender pelas conseqüências dos atos. Há diferentes e diversos processos de aprendizagem, que não se resume à modelagem, e não necessariamente, como se observa em nossa cultura, essa constitui a forma mais empregada para a aprendizagem humana. Em nossa cultura, o aprender por instruções (tecnicamente, comportamento governador por regras) parece ser a forma mais comum, sendo a educação escolar um de seus principais exemplos.
    Deve-se observar que há uma confusão no uso de termos técnicos, da filosofia e na compreensão de fenômenos em termos de uma psicologia básica e aplicada sob base comportamental. O uso de termos técnicos deve claramente seguir sua utilidade na observação e no estudo de fenômenos comportamentais, jamais são entendidos como um retrato ou representação da realidade, mas uma forma de entender os fenômenos mais do que uma descrição dos fenômenos em si.

    Sugiro leitura aprofundada da abordagem comportamental.

    ResponderEliminar
  2. GEORGE VIEIRA01:31

    Sugiro que o autor deste site se apropie melhor de alguns conceitos da ciência do comportamento e de sua filosofia, dada a quantidade de frases que demonstram desconhecimento acerca do comportamentalismo

    ResponderEliminar